O que você não sabia sobre aumentar a produtividade por meio do conforto térmico na indústria

Sumário

Você notou que a produtividade dos seus funcionários não está mais como há alguns anos ou meses? O número de colaboradores afastados ou que se sentem mal durante o trabalho aumentou? O turn-over da sua empresa está mais alto do que você gostaria? Sabia que todas essas queixas podem estar relacionadas com o conforto térmico?

Promover um ambiente que seja confortável é obrigação do empregador e está descrita em diversas normas reguladoras e até na CLT. Mas, nem sempre é simples entender como a temperatura dos ambientes pode afetar a produtividade e o bem estar dos colaboradores e nem definir qual é a temperatura ideal para que todos se sintam bem, não é mesmo?

Se você está enfrentando esses problemas ou deseja tornar o seu ambiente de trabalho mais agradável para os seus funcionários, continue a leitura.

Conforto térmico na industrial

O que é conforto térmico e qual a sua importância?

O conforto térmico é uma preocupação constante de inúmeras normas reguladoras e leis trabalhistas e visa tornar os ambientes salubres para os trabalhadores.

Para defini-lo, contudo, é preciso considerar não apenas a temperatura ambiente, mas também a velocidade do ar, a umidade, o isolamento do vestuário e o calor metabólico, além da percepção de frio e calor de cada trabalhador, que pode variar dependendo do sexo e da idade.

Naturalmente, as mulheres costumam sentir mais frio do que os homens (exceto no período da menopausa), assim como os mais jovens sentem mais calor do que os mais velhos. E todas essas variáveis devem entrar na definição do conforto térmico para o seu espaço.

Algumas normas reguladoras, inclusive, indicam as temperaturas ideais dependendo do ambiente e do tipo de trabalho realizado. De acordo com a NR 15, que trata das atividades e operações insalubres, é preciso que o empregador faça uma avaliação do Bulbo Úmido Termômetro do Globo (IBGTU), que analisa o calor existente no ambiente de trabalho, avaliando a sobrecarga térmica.

Para essa norma, em locais onde as atividades realizadas são leves e o trabalho é contínuo, o IBGTU não deve ultrapassar 30ºC – mais do que isso o ambiente é considerado insalubre.

Já para a NR 17, nos locais onde acontecem atividades intelectuais e que exigem atenção permanente, a temperatura deverá variar entre 20ºC e 23ºC.

Quando esses valores não são seguidos e os trabalhadores não possuem conforto térmico, os problemas começam a aparecer, afetando toda a sua produção e ainda colocando o seu negócio em risco de sofrer ações trabalhistas.

Como o conforto térmico influencia no desempenho das minhas equipes?

Ainda não está muito clara a relação entre conforto térmico e produtividade? Pois saiba que quando os valores de temperatura não são respeitados é possível que vários problemas aconteçam, como:

Mal estar e desidratação

Se o local de trabalho é extremamente quente, é possível que os seus funcionários comecem a sofrer com a desidratação, apresentando sintomas como sudorese, irritação, sensação de desmaio, dores de cabeça, câimbras, pele úmida e, até mesmo, nos casos mais extemos, acabem desmaiando.

É claro que, se essa situação se mantém por muito tempo, é impossível que esses trabalhadores consigam focar no que estão fazendo e acabem produzindo menos e com menor qualidade. Vários estudos mostram que oferecer conforto térmico adequado é capaz de melhorar em até 30% os níveis de produtividade.

Problemas respiratórios e de visão

Além da sensação térmica, o conforto térmico que falamos acima considera outras variáveis importantes, sendo uma delas a umidade. Locais com baixa umidade podem afetar de maneira considerável o nosso sistema respiratório, agravando determinadas condições de saúde (como a asma) e levando ao surgimento de outros, como a sinusite, a bronquite e as infecções de garganta.

A visão também pode ser afetada, causando o que conhecemos como síndrome do olho seco, quando o filme lacrimal passa a evaporar muito rapidamente, impedindo que a lubrificação natural dos olhos aconteça.

Se o ambiente ainda conta com poeira ou outros resíduos sólidos, a inalação frequente desses itens pode levar a casos muito mais graves de saúde.

Alto número de afastamentos e turn-over

Um ambiente que não oferece conforto térmico aos seus trabalhadores, certamente será uma fonte de problemas de saúde frequente. Se os seus colaboradores estão expostos a uma situação degradante de trabalho, é claro que acabarão sofrendo alguma questão mais séria, aumentando o número de faltas, afastamentos médicos e até de turn-over (rotatividade de funcionários).

Afinal, ninguém deseja se manter trabalhando em um local que coloca em risco sua saúde e bem estar. Com uma taxa de rotatividade alta pode ser difícil conseguir manter sua produtividade estável e ainda reter talentos que lhe são importantes ou construir uma política e uma cultura organizacional.

Maiores riscos de acidentes de trabalho

Você já parou para pensar porque o conforto térmico é abordado dentro das normas reguladoras e tratado como um item indispensável para a segurança do trabalho? Muitos empregadores apenas pensam nos níveis de produtividade, mas colaboradores expostos ao calor excessivo e degradante não possuem condições de trabalho, o que pode significar um aumento no número de acidentes.

Se o seu trabalhador está se sentindo indisposto, com dor de cabeça, irritado e quase desmaiando, você acha que será fácil para ele ter uma resposta rápida a algum incidente ou ainda lembrar-se de todas as normas de segurança para atuar com determinado maquinário, por exemplo?

Não é a toa que os ambientes que não respeitam o conforto térmico são considerados locais insalubres.

Como oferecer maior conforto térmico aos meus colaboradores?

Já está convencido de que o conforto térmico é um item indispensável ao seu negócio? Pois saiba que existem inúmeras soluções. O primeiro passo é tentar compreender quais são as necessidades do seu ambiente de trabalho, considerando as características da construção, o que é produzido no local, a quantidade de umidade, poeira e outros itens.

Após essa checagem, você poderá usar inúmeras soluções de ventilação industrial, como o climatizador evaporativo, os insufladores axiais, o exaustor industrial ou a saída de ar natural.

Muitos empresários acreditam que a única solução é o ar condicionado, mas isso não é verdade. Inclusive dependendo das características do seu ambiente o uso desse aparelho pode ser praticamente impossível.

O mais recomendado é contar com auxílio de uma equipe técnica capaz de entender a sua realidade e de lhe proporcionar a solução mais adequada para o seu caso.

Depois de toda essa explicação, está convencido de que pensar no conforto térmico dos seus trabalhadores poderá evitar inúmeros prejuízos para o seu negócio? Se você ainda tem alguma dúvida sobre esse tema, deixe um comentário pra gente!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp